Penafiel

Luzim e Vila Cova

 

A União das Freguesias de Luzim e Vila Cova apresenta um vasto património natural e cultural. Destaca-se um menir, conhecido como marco de Luzim, um monólito granítico implantado verticalmente no solo, com uma forma alongada e fálica e uma altura máxima de 2,5 metros. Este monumento megalítico terá sido erigido entre o V e III milénio A.C, sendo de destacar o facto de ser o mais antigo monumento do género conhecido em Portugal. A localização deste monumento pode estar associada à proximidade da necrópole dolménica da Tapada de Sequeiros. Em Luzim existem, também, as gravuras de Lomar, núcleo de arte rupestre que integra quase 100 gravuras de motivos variados, talhadas num pequeno penedo granítico aplanado que se destaca do solo.

 

Quanto aos recursos naturais, na margem do Tâmega, deve destacar-se a praia fluvial de Travassos, com forte potencial de atração, desde há muito comprovado pelas suas excecionais características naturais, ambientais e paisagísticas.

A serra de Luzim marca o limite de duas paisagens distintas do território penafidelense, sendo atravessada por vários caminhos que confluem na zona do menir. Estes percursos ligavam as terras baixas e férteis a poente de Luzim às quentes margens do Tâmega, onde, no verão, se instalavam no rio os moinhos temporários que serviam os lavradores e os moleiros dos ribeiros mais modestos, mas também dos rios Sousa e Cavalum. Estes difíceis caminhos de ligação ao Tâmega eram intensamente percorridos por lavradores de todo o concelho para transporte de grão, farinha e linho para os engenhos instalados nas várias paredes e açudes que pontuavam o rio Tâmega. 

 

O papel do Tâmega na economia penafidelense foi, desde sempre, fundamental, não só pelo aproveitamento da força motriz que as suas águas proporcionavam, mas também pelo pescado que dele se recolhia, sobretudo o sável e a lampreia, através das diversas pesqueiras e pesqueirões espalhados pelas suas margens, cuja propriedade e direitos foram, desde a Idade Média, alvo de atenção especial e de disputa por parte de mosteiros, nobreza e Coroa.